Pavlova é uma sobremesa com base de merengue (com casquinha quebradiça e interior macio) coberta com chantili e kiwi, nomeada em homenagem à bailarina russa Anna Matveyevna Pavlova (1881-1931) após suas apresentações na Nova Zelândia, em 1926 e na Austrália, em 1929. Segundo os críticos da época “Anna não dançava, ela flutuava com a ajuda de suas asas” – com isso é fácil entender o quanto essa sobremesa é leve!

A Pavlova é uma sobremesa típica de verão mas consumida durante o ano todo em diversas partes do mundo, especialmente em comemorações e feriados. A nacionalidade do autor da sobremesa em homenagem à bailarina sempre ficou entre as duas nações, até que finalmente o título foi concedido à Nova Zelândia.

Keith Money, biografa de Anna Pavlova escreveu que um chef, em um hotel em Wellington, Nova Zelândia, criou o prato quando Pavlova visitou o país em 1926. Segundo ela o chef se inspirou em seu tutu, com detalhe de rosas de seda verde. A forma básica da saia se assemelhava ao formato do merengue enquanto o volume da saia pelo chantili. Para alcançar o efeito das rosas a interpretação do chef foi utilizar fatias de kiwi.

Já o livro The Pavlova Story: A slice of New Zealand´s Culinary History de Helen Leach, antropóloga da Universidade de Otago, na Nova Zelândia diz que a primeira receita de pavlova australiana foi criada apenas em 1935. E na publicação Home Cookery on New Zealand de Emily Futter, de 1926 já aparecia uma receita de “Meringue with fruit filling”, que apesar de não conter o nome “pavlova” é muito semelhante ao preparo. E foi por conta dessa receita que os neozelandeses reivindicaram o título de autores da receita; segundo eles os australianos usaram a receita de Futter e então a nomearam de Pavlova.

Mas como toda boa história da origem de receitas é conturbada, o chef Herbert Sachse (1898- 1974) também poderia ter criado a sobremesa no hotel Esplanada em Perth, Austrália, para ser servida no chá da tarde. O nome foi dado, de acordo com relatos da tradicional família Paxton, em uma reunião na qual Sachse havia apresentado o doce depois de Anna Pavlova ter se hospedado no hotel em 1929 para suas apresentações na Austrália, e dizia ser muito mais leve que a própria bailarina dançando!

Em 1973, Herbert Sachse declarou em uma entrevista que o doce foi criado através de modificações de uma receita de Bolo Merengue encontrada na revista Women´s Mirror de 2 de abril de 1935, cujo colaborador da receita era uma neozelandês.

2

Australian Women´s Weekly, 1937

Sem título

Pavlova Cake Sweet, Australian Women´s Weekly, 1937

Outra receita de Pavlova sweet cake ainda aparece em um exemplar de 1937 da revista Australian Women´s Weekly. E uma citação no The Argus de 17 de novembro de 1928 associa o doce a um sorvete americano nomeado de Pavlova:

“Dame Nellie Melba encontrou a fama para além da sua arte com o famoso doce composto por pêssegos e creme, enquanto a Senhorita Anna Pavlova empresta seu nome à variedade popular do sorvete americano”.

4

The Argus de 17 de novembro de 1928

3

trecho The Argus, 1928

De qualquer maneira, independente do principal autor da receita o importante é que ambos os países tiveram não só o privilégio de ver a bailarina de asas voar sobre o palco, como criar uma sobremesa que a torna-se imortal. Tentar encontrar as origens de um prato pode ser um trabalho árduo e quase sempre sem fim, especialmente quando famílias e emoções se misturam à real importância histórica em se obter a origem verdadeira.

Para resolver isso sirvo uma fatia de pavlova para cada um e assim resolvemos o problema, e seguimos todos em paz nos deliciando com cremosas, leves e saborosas pavlovas e relembrando a leveza da dança de Anna Pavlova!

Referências

Australian Women´s Weekly. Pavlova sweet cake. Disponível em: < http://trove.nla.gov.au/ndp/del/article/52262837> Acesso em 19 de janeiro de 2015.

FUTTER, Emily. Home Cookery on New Zealand. Whitcombe and Tombs, 1930.

History of Pavlova. Disponível em: < http://whatscookingamerica.net/History/Cakes/Pavlova.htm>. Acesso em 20 de janeiro de 2015.

LEACH, Helen. The Pavlova Story: A Slice of New Zealand’s Culinary History. Otago University Press, 2008.

MONEY, Keith. Anna Pavlova. Knopf ,1982.

MUSTER, Douglas. The Origins and History of Pavlova. Disponível em: < http://www.inmamaskitchen.com/pavmay2.html>. Acesso em 21 de janeiro de 2015.

Pavlova, American Style. Disponível em: < http://hre472pavlova.weebly.com/pavlova—the-controversial-timeline.html> Acesso em 19 de janeiro de 2015.

RALPH, Glen. Whipping is Pavlovian. Disponível em: < http://www.inmamaskitchen.com/FOOD_IS_ART/reference/pavlova_history.html>. Acesso em 17 de janeiro de 2015.

The Argus. In the papers –  17 November 1928. p. 5 Supplement: The Argus. Saturday Camera Supplement. Disponível em: <http://trove.nla.gov.au/ndp/del/article/3969695> Acesso em 21 de janeiro de 2015.

Comments

comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *